quinta-feira, 12 de julho de 2018

Operação com RPA viabiliza vistoria em aeródromo


Drones e aeroportos não combinam, certo? Depende.

Testes realizados, de 25 a 29 de junho, no pátio do Aeroporto Internacional do Galeão demonstraram a viabilidade do uso de Aeronaves Remotamente Pilotadas (RPA) em vistorias de pistas, taxiways e pátios de estacionamento.

Contratado pela administradora do aeroporto carioca, o drone sobrevoou, ao longo do período, um pequeno trecho do pátio de aeronaves, averiguando a compatibilidade das marcações e sinalizações atuais às registradas na planta do aeródromo.

Trata-se da Inspeção de Sinalização Horizontal de Pátio à qual os aeródromos são submetidos com regularidade para a verificação de conformidade aos padrões exigidos nos regulamentos relacionados. A diferença, ao que tudo indica, é que com o uso de uma Aeronave Remotamente Pilotada o tempo de execução pode ser substancialmente reduzido.

A fim de manter o nível de segurança aplicado nas atividades, o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) apoiou a operação, orientando as tratativas operacionais e a execução do voo da RPA no aeródromo dentro das margens de segurança.

Para o Tenente-Coronel Aviador Jorge Humberto Vargas Rainho, chefe da Divisão de Coordenação e Controle do Subdepartamento de Operações do DECEA, “os resultados obtidos demonstraram a viabilidade de aplicação dessa técnica devido à agilidade e ao grande ganho operacional em termos de tempo de execução, com a menor interferência possível na operacionalidade do aeródromo”.

Ao final dos testes, uma nova planta de sinalização foi desenvolvida para viabilizar um relatório comparativo. Novos testes ainda poderão ser realizados de modo que, de acordo a necessidade operacional do aeródromo, as próximas vistorias gênero possam passar a usar a nova técnica.

Fonte: Piloto Policial

terça-feira, 10 de julho de 2018

Esquadrilha da Fumaça se apresenta em Aracaju no dia 15


Além da final do Mundial da Rússia, os sergipanos poderão apreciar no domingo, 15, a apresentação da Esquadrilha da Fumaça em alusão à data de Emancipação Política de Sergipe, comemorada em 8 de julho. O evento, realizado pela Prefeitura de Aracaju, será na Passarela do Caranguejo, situada na Orla da Atalaia, e contará com sete pilotos fazendo as manobras nos aviões e outro piloto para fazer a locução, no solo, durante a apresentação.

A exibição do Esquadrão de Demonstração Aérea (EDA), nome oficial da Esquadrilha, é um desejo antigo da Aeronáutica de Sergipe, pois o Centro de Comunicação Social da corporação já havia feito a solicitação da apresentação do grupo para o estado. Aracaju será a segunda cidade a receber o grupo, de um circuito de 12 cidades de uma excursão que a EDA vai fazer nas regiões Norte e Nordeste do Brasil. Antes de chegar à capital sergipana, os Fumaceiros, como são conhecidos hoje, vão se apresentar em Salvador e depois seguirão para Recife. No dia 20 de junho, o prefeito de Aracaju Edvaldo Nogueira recebeu em seu gabinete a visita do capitão Glauber Lage, piloto da esquadrilha, e do capitão aviador Diego Almeida Teixeira de Souza, da Força Aérea Brasileira (FAB) de Sergipe. O intuito da reunião foi tratar da apresentação do próximo dia 15 de julho.

A Esquadrilha

Localizada em Pirassununga, cidade a 208 km de São Paulo, a Esquadrilha da Fumaça foi fundada em 1952, e se apresenta desde 14 de maio de 1954. Hoje, a equipe da esquadrilha conta com 13 oficiais aviadores, um médico, um especialista em aviões, três oficiais de Comunicação Social e uma equipe de graduados especialistas.

Os aracajuanos, que vão apreciar a apresentação da EDA, poderão ver uma das fabricações da Força Aérea Brasileira. Trata-se do A-29 Super Tucano. Com fabricação da Embraer, o avião já foi utilizado em missões de defesa aérea, escolta, ataque leve, treinamento avançado, patrulha aérea de combate e formação de líderes da aviação de caça. Retomada, desde 2015, demonstrações aéreas com o Super Tucano, a esquadrilha realiza manobras com as aeronaves em suas exibições.

Com mais de 3.800 apresentações no Brasil e em 21 países do mundo e três recordes mundiais, em 1996, 2002 e 2006, o Esquadrão de Demonstração Aérea ou Esquadrilha da Fumaça, visitou se apresentou em Aracaju, há 16 anos, ou seja, em 2002, ano do pentacampeonato brasileiro da Seleção Brasileira. Neste ano, também de Copa do Mundo, o esquadrão pode, além de homenagear Sergipe, comemorar o hexacampeonato do Brasil.

Fonte: Portal Infonet
Foto: Regis Fonseca (Sergipe Drones)

segunda-feira, 9 de julho de 2018

Era dos aviões turboélices chega ao fim nos Estados Unidos


Não é todo mundo que se sente confortável voando com uma hélice girando do lado da sua janela no avião, e nos Estados Unidos, aparentemente, nenhum passageiro passará por essa situação daqui para frente. Nesta quarta-feira (4), foi realizada a última viagem comercial de uma aeronave turboélice no país, pelo menos operada por uma das três gigantes ou suas afiliadas.

O último voo com um avião do tipo foi realizado por um Bombardier Dash 8 da Piedmont Airlines, subsidiária da American, que pousou na cidade de Salisbury, em Maryland. O modelo já era usado pela companhia aérea regional desde 1985.

A decisão da American Airlines segue a mesma linha desenvolvida por Delta e United, que também retiraram seus aviões turboélice de circulação. No caso da última, o voo final foi realizado no dia 31 de maio e terminou na remota ilha de Guam, que fica ao leste das Filipinas e pertence aos Estados Unidos.

As rotas operadas por esses modelos pela Delta e United já foram substituídas, basicamente, por aeronaves a jato da Bombardier e da Embraer. No caso da American, o voo que pousa em Salisbury, por exemplo, será operado pelo modelo 145 da Embraer.

Apesar da modernização implementada pelas três gigantes da aviação norte-americana, os aviões turboélices ainda poderão ser vistos pelos céus dos Estados Unidos, uma vez que companhias menores como a Horizon Air e a Empire Airlines, ainda utilizam aeronaves como o Bombardier Q-400 e o ATR 42-500.

Fonte: Panrotas

sexta-feira, 6 de julho de 2018

FÉRIAS DE JULHO DEVEM MOVIMENTAR 8,28 MILHÕES DE PASSAGEIROS NOS AEROPORTOS DA INFRAERO


Os aeroportos administrados pela Infraero já estão preparados para a movimentação de alta temporada das férias de julho. Entre os dias 26/6 e 31/7, os 54 terminais da empresa deverão receber 8,28 milhões de passageiros, entre embarques e desembarques. Este número é 1,9% superior ao movimento do mesmo período do ano passado, quando passaram pelos terminais da empresa 8,13 milhões de viajantes. A quantidade de aeronaves nos aeroportos da Rede Infraero também deve crescer 4,73% no período, com 126.758 neste ano ante as 121.035 em julho de 2017. 

A estimativa leva em conta a oferta de assentos das empresas aéreas, e orientou um plano de ação que visa a garantia da fluidez, o conforto e a segurança de quem vai viajar pelos terminais da Infraero.

As medidas começaram em junho, quando as atividades de manutenção preventiva priorizaram equipamentos como esteiras de embarque e desembarque de bagagens, sinalização de pista, pontes de embarque, escadas rolantes, raios-x e detectores de metal, entre outros. 

O monitoramento dos aeroportos também será reforçado com supervisores em todas as etapas de embarque e desembarque. Eles terão capacidade de atuar na correção de quaisquer situações que possam prejudicar as operações. Além deles, equipes de limpeza e manutenção vão atuar com uma frequência maior, com destaque para os horários de maior movimento, garantindo que a demanda seja bem atendida.

Fonte: Assessoria de Imprensa – Infraero